GMIDIA.COM
http://www.pousadagamboa.com.br/
publicidade

Donos de imóvel são indenizados em R$ 10 mil por irregularidades de imobiliária


Donos de imóvel são indenizados em R$ 10 mil por irregularidades de imobiliária A juíza da 2ª Vara Cível de Três Lagoas, Emirene Moreira de Souza Alves, julgou procedente a ação ajuizada por R.J. dos S. e C.M. dos S. contra uma imobiliária, condenada ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais em razão da demora de oficializar a Escritura Pública do imóvel em nome dos autores.

Alega o casal que adquiriu um imóvel na ré, mas não conseguiram até o momento escriturar a casa por má vontade da imobiliária. Contam ainda que se sentem humilhados e ofendidos por terem adquirido um imóvel e não poderem tê-lo em razão das irregularidades praticadas pela ré.

Por estas razões, pediram indenização por danos morais e que a imobiliária seja obrigada a outorgar a referida Escritura Pública.

Em contestação, a administradora de imóveis argumentou que não assinou qualquer contrato de corretagem com a parte autora e também não pode responder pelos danos morais pleiteados. Além disso, sustenta que apenas redigiu o contrato de cessão de direitos e obrigações em questão, mas tal fato não lhe impõe a obrigação responder por deveres que não contraiu.

Para a juíza, os argumentos que a imobiliária afirma nos autos não merecem prosperar, pois a ré tinha o dever de comprovar que os autores estavam cientes da impossibilidade da referida outorga, o que não ocorreu. Além disso, a magistrada observou que nos autos não existem elementos que comprovem a impossibilidade de realizar a escritura em nome dos autores.

“A prova testemunhal produzida nos autos confirma que a ré realizava a venda de referidos terrenos ciente da irregularidade que recaía sobre os mesmos, incluindo o adquirido pelos autores e ainda assim, no momento da compra e venda, era afirmado que a escritura pública seria outorgada”.

Desse modo, a juíza concluiu que os pedidos formulados pelos autores devem ser procedentes. “O dano moral restou caracterizado pela patente da ré ao intermediar a venda de um imóvel impossibilitado de obter sua escrituração, competindo, em razão disso, lançar mão de função punitiva e pedagógica da responsabilidade civil, sinalizando à ré a inadequação de sua conduta, buscando-se, com isto, evitar a reiteração de prática semelhante no futuro”.

Processo nº 0800218-63.2016.8.12.0021

FONTE: TJMS

Por EDUARDO BARROS DE CARVALHO GIL, Advogado no escritório COLPO CARVALHO ÁVILA Advogados, eduardo@colpocarvalhoavila.com.br - (48) 99976-9836



Eduardo B. de Carvalho Gil       26/07/2017 As 20:09:55


publicidade

Feira de Verão de Garopaba - Preços de Fábrica


Feira de Verão de Garopaba - Preços de Fábrica

O maior sucesso em público e vendas de Garopaba !!! Descontraia, faça b...


Óptica Luna


Óptica Luna

Oferece as melhores marcas em óculos de sol, receituário, lentes de conta...

Galeria de Vídeos

Nova iluminação de LED já embeleza a ...

Cobertura de eventos

Ferraz x EncantadenseFerraz x Encantadense

Fotos da Região

Fotos de Ecologia Ecologia

Lazer & Entretenimento

IKC - Ibiraquera Kite Center IKC - Ibiraquera Kite Center

Nossos espaços publicitários

Banners
Anúncios VIPs
Anúncios em Destaque

Veja nossa tabela de preços completa e escolha a melhor opção no site que apresenta

Resultados Comprovados!





Central de Vendas: contato@garopabamidia.com.br - Garopaba - SC - Brasil


Desenvolvido por :GaropabaMídia
Copyright 2000-2015 GaropabaMidia.com.br - Todos direitos reservados