GMIDIA.COM
http://www.pousadagamboa.com.br/
publicidade

Garopaba, seu nome


Garopaba, seu nome Tanto para pessoas como para objetos, animais e lugares, os nomes possuem sua importância, visto que servem para identificação dos mesmos. Toponímia vem do grego topos “lugar” e onoma “nome”. Estuda o nome dos lugares e designativos geográficos: física, humano, antrópico ou cultural. As particularidades da toponímia são a busca pela etimologia, o caráter semântico da palavra e suas transformações linguísticas, principalmente as fonético-fonológicas e as morfológicas. No caso de Garopaba entendemos que ainda não é generalizada a base explicativa que esclarece a sua designação. Dentre os autores que tratam de explicar a origem do nome de Garopaba destacamos Auguste Saint-Hilaire, Lucas Boiteux e José Artulino Besen.

Saint-Hilaire foi botânico, naturalista e viajante francês Viajou alguns anos pelo Brasil, tendo escrito importantes livros sobre os costumes e paisagens brasileiros do século XIX. Viajou por várias regiões do Brasil realizando estudos sobre a botânica e descreveu os lugares por onde esteve publicando diversos trabalhos e deixando uma contribuição rica. Ao visitar Santa Catarina, em 1820, passou por Garopaba nos dias 20 e 21 de maio e deixou importante registro sobre Garopaba, em especial sobre a armação baleeira. A sua explicação sobre o nome de Garopaba é que vem do guarani “yguacuba”, enseada de barcos em sua obra “Viagem a Curitiba e Província de Santa Catarina” publicada em 1936. O seu relato sobre Garopaba será tratado em uma futura coluna.

Lucas Alexandre Boiteux nasceu em Nova Trento, no município de Tijucas, Estado de Santa Catarina, a 23 de outubro de 1881 e faleceu no Rio de Janeiro a 16 de dezembro de 1966. Militar e historiador. Teve uma intensa carreira militar e é considerado um dos mais importantes historiadores deixando vasta obra e no livro “Notas Para a História de Santa Catarina”, publicado em 1912 e que foi utilizado como base para livro didático, apresenta a sua versão para o nome de Garopaba. Afirma que o nome Garopaba se origina de dois nomes indígenas: “Ygara” que significa lagoa e “upaba” que significa canoa e que então significaria lagoa da canoa. Portanto diverge um pouco de SaintHilaire. Destaque-se que Boiteux deixou valiosa contribuição sobre a pesca da baleia descrevendo todo o processo de caça às baleias detalhando as etapas e os procedimentos.

Padre José Artulino Besen nasceu em Antônio Carlos – SC, em 17 de setembro de 1949 é também historiador e tem uma intensa produção sobre a história da Igreja em Santa Cataria e valiosas biografias de santos, de padres e outras autoridades religiosas, portanto um autor respeitado e que prestou importante contribuição ao escrever o livro “1980 São Joaquim de Garopaba (Recordações da Freguesia) que trata da história da Paróquia criada em 1830 e que se mescla com a própria história de Garopaba. É uma preciosa fonte de informações e fornece uma perspectiva geral sobre o município até 1980. O livro se deve também à iniciativa do Padre Chico a quem devemos este legado. No citado livro padre Besen explica que o nome de Garopaba vem grafado na Carta de Turim, em 1523 como “Cahopaba” pela primeira vez. Ou assim: “Upaua”, “Upaba”, “Guarupeba”. Segundo Besen, muitos vêm neste nome o significado de “Enseada dos Barcos”. O verdadeiro significado está no Guarani, a língua local: “Ygá”, “Ygara”, “Ygaratá”, que significa barco, embarcação, canoa e “mpaba”, “paba” é estância, paradeiro, lugar, enseada. Garopaba então significa “Lugar dos Barcos”, “Enseada dos Barcos”. Portanto uma explicação plausível. É uma obra que deve ser lida por todos os interessados em conhecer um pouco mais sobre Garopaba. Nota-se que as explicações dos autores tem em comum a origem indígena da designação de Garopaba.

Destaca-se que uma fonte importante que poderia trazer informações sobre Garopaba são os manuscritos de Manoel Marques Guimarães que foi administrador da armação baleeira de Garopaba de 1795 a 1818 e que é citado por Valter Piazza, destacado historiador catarinense, como importante fonte de informações, por Henrique Boiteux como importante cronista e cita como autor de várias passagens no livro “Subsídios para
a história da província de Santa Catarina”, de José Gonçalves Santos Silva, publicado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina onde devem estar os seus manuscritos, cujo acesso seria importante, além da biografia escrita por Vilson Farias.

Assim pode-se concluir que a explicação para o nome de Garopaba é fundamentado em explicações razoáveis e lembrar que a sua citação já é feita quando da criação da Freguesia de Nossa Senhora do Desterro, separada da de Laguna e cujo limite é Garopaba. Assim esperamos ter contribuído para fomentar o debate sobre este aspecto importante do município que é esclarecer as bases que explicam o seu nome.

Foto: Panoramio



João Pacheco de Souza       24/05/2017 As 11:29:41


Dedetizadora Pampa


Dedetizadora Pampa

A Dedetizadora Pampa atendendo em Garopaba e região é uma empresa voltada...


Casa do Claudio em Garopaba


Casa do Claudio em Garopaba

Casa no Loteamento Ilha Residencia Panorâmico, com cozinha completa, ar co...

Galeria de Vídeos

Praia do Rosa

Cobertura de eventos

Quermesse Garopaba 2018 5º diaQuermesse Garopaba 2018 5º dia

Fotos da Região

Fotos de Ecologia Ecologia

Lazer & Entretenimento

CACHOEIRA BAR SIRIÚ CACHOEIRA BAR SIRIÚ




Central de Vendas: contato@garopabamidia.com.br - Garopaba - SC - Brasil


Desenvolvido por :GaropabaMídia
Copyright 2000-2015 GaropabaMidia.com.br - Todos direitos reservados